A PME Investimentos é o mais recente membro da Aliança Portuguesa de Blockchain.

No âmbito desta parceria e ao abrigo da nossa missão de desenvolver políticas e instrumentos de empreendedorismo, inovação, competitividade e internacionalização, a PME Investimentos vai apoiar as melhores ideias nacionais baseadas em Blockchain, promovendo os projetos desenvolvidos pelos participantes dos Challenges, junto dos fundos de investimento atuais da sua carteira, bem como de fundos futuros que venham a ser criados.

Para Marco Fernandes, Presidente do Conselho de Administração da PME Investimentos, “Os projetos em blockchain vão previsivelmente ter um crescimento e abranger cada vez mais àreas e esta é uma maneira de apoiar o seu arranque e sustentabilidade, enquadrado nesta Aliança Portuguesa de Blockchain”.

Simultaneamente, a PME Investimentos vai promover uma maior interação entre os programas de política pública e as lógicas de atuação privadas, no âmbito do tema Blockchain, em futuras linhas de crédito a desenvolver e que representam, para as empresas apoiadas, uma melhoria das condições de financiamento, beneficiando também dos mecanismos do Sistema Nacional de Garantia Mútua.

“Temos neste momento vários Challenges ativos e outros prontos a começar. Temos recebido vários interessados nestes desafios e, através da parceria com a PME Investimentos, queremos garantir que os melhores projetos têm a oportunidade de ver a luz do dia para além da Aliança Portuguesa de Blockchain”, explica Rui Serapicos, Managing Partner da CIONET Portugal. “A PME Investimentos vem apoiar os melhores projetos  podendo tornar a sua solução ou ideia, baseada em Blockchain, numa realidade”.

Neste momento, os interessados já podem responder a três Challenges de Blockchain: Abreu Advogados Smart Contract Challenge, Fidelidade Insurance Challenge e REN Energy Challenge. Novos desafios serão lançados muito  em breve.

Sobre Blockchain

O Blockchain é uma maneira notavelmente transparente e descentralizada de registar listas de transações. A forma como as transações baseadas em Blockchain criam registos públicos rápidos, baratos e seguros, que podem ser usados para muitas tarefas de cariz financeiro e não-financeiro, como o voto eletrónico ou provar a existência de um documento num dado momento.

O Blockchain é particularmente adequado para situações em que é necessário conhecer e rastrear um registo de propriedade de um determinado ativo. Também pode ajudar a resolver o problema da pirataria de ativos digitais, ao mesmo tempo que os medias digitais podem legitimar, vender, herdar e entregar livros em segunda mão, vinil, entre outros. Este paradigma emergente também apresenta oportunidades em todos os tipos de serviços públicos, como pagamentos de saúde e bem-estar.

Sobre a Aliança Portuguesa de Blockchain

A Aliança Portuguesa de Blockchain, promovida pela CIONET Portugal, tem como principal objetivo o desenvolvimento de um ecossistema que reúne empresas, academia e entidades governamentais portuguesas de forma a dotar o sistema empresarial de conhecimentos sólidos sobre blockchain.

Esta Aliança pretende que todos os intervenientes da economia portuguesa estejam o mais bem preparados possível para a revolução que esta tecnologia implicará em grande parte dos setores económicos. Em paralelo, a Aliança tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de soluções baseadas em blockchain de origem nacional.

Entre as entidades envolvidas nesta Aliança estão a Abreu Advogados, AICEP, AMA, Associação Portuguesa de Seguradores, BCSD, Católica Lisbon School of Business & Economics, CIONET, EMEL, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Fidelidade, IBM, ISEG- Lisbon School of Economics & Management, Instituto Superior Técnico, IAPMEI, IP Telecom, PME Investimentos, Porto Business School, REN, Universidade Lusófona e Vodafone.

 

Partilhar: