A Linha para as Empresas Portuguesas com Processo de Internacionalização em Angola, tem como objetivo promover o acesso ao crédito a empresas com exportações ou processo de internacionalização para o mercado angolano. As empresas devem comprovar, à data da contratação e/ou utilização do financiamento, a existência de depósitos bancários em AOA em instituições de crédito angolanas, à sua ordem ou passíveis de serem consignados a seu favor, com origem em transação comercial prévia e devidamente autorizada pelas autoridades angolanas através de Documento Único Definitivo, ou documento comprovativo da respectiva comunicação/registo junto das autoridades angolanas, no caso de exportações de serviços, com registo cambial no Sistema Integrado de Operações Cambiais (SINOC), que sentem dificuldades em converter em divisa cotada internacionalmente, nomeadamente euros (EUR) ou dólares americanos (USD).

Em vigor desde 8 de maio de 2015, a linha conta com uma  dotação global de 500 milhões de euros.

Operações de financiamento destinadas a fundo de maneio

Excecionalmente, até 30% da operação, poderá ser utilizada para liquidar dívidas contraídas junto do sistema financeiro nos 3 meses anteriores à data da sua contratação destinadas, exclusivamente, à regularização de dívidas em atraso à Administração Fiscal e Segurança Social

As operações de crédito a celebrar no âmbito da presente Linha beneficiam de uma garantia autónoma à primeira solicitação, prestada pelas Sociedades de Garantia Mútua, destinada a garantir até 80% do capital em divida em cada momento.

A negociar entre as empresas e o Banco, com o limite máximo correspondente à taxa Euribor (6 meses) acrescida de um spread de acordo com a tabela constante do Documento de Divulgação.

Os juros serão liquidados mensal e postecipadamente.

Comissão de Garantia a suportar pelas empresas, de acordo com a tabela constante do Documento de Divulgação.

Para mais informações consulte o Documento de Divulgação

Partilhar: